O Grupo EDP doou à Tate Modern, em Londres – um dos meus museus preferidos do mundo –  duas obras de Pedro Cabrita Reis que vão ficar a pertencer à coleção permanente desta instituição britânica, uma das mais importantes do mundo no que diz respeito à arte moderna e contemporânea. Esta ação EDP insere-se na filosofia do Grupo, que através da Fundação EDP, apoia a internacionalização de artistas portugueses.

A Fundação EDP em defesa da internacionalização dos nossos artistas doou  à Tate de duas obras de Cabrita Reis:  ”The Moscow Piece” e “The Unnamed Word #1”, ambas de 2006, juntam-se a mais duas adquiridas pela Tate Modern a Cabrita Reis, no principio de 2012 e que estão expostas ao público até ao final do ano.

Cabrita Reis participou em importantes exposições nacionais e internacionais e já representou Portugal na Bienal de Veneza por três vezes e, por duas outras vezes, na Bienal de São Paulo. É ainda o autor do projeto “Da Cor das Flores”, uma obra pública realizada em 2011 na Barragem da Bemposta no âmbito do projeto “Arte e Arquitetura nas Barragens” promovido pela EDP, através da Fundação EDP.

Crucial para o entendimento da escultura a partir de meados da década de 1980, a sua obra abraça a pintura, a escultura, a fotografia e instalações compostas de materiais encontrados e de objetos manufacturados. Utilizando materiais simples e submetendo-os a processos construtivos, Pedro Cabrita Reis recicla reminiscências quase anonimas de gestos e ações primordiais repetidos no quotidiano. Centradas em questões relativas ao espaço, à arquitetura e à memória, as suas obras adquirem um sugestivo poder de associação que, transpondo o visual, alcança uma dimensão metafórica.

Mais aqui.

esta plataforma Atlântica no facebook está aqui