Quantos de nós, seres humanos ultrapassarão os 100 anos, ou deixarão um legado como de Oscar Niemeyer? Ícone da arquitetura moderna com marcas deixadas na paisagem por esse mundo fora. “Em 27 países e em 124 cidades. Oscar Niemeyer está mais próximo da onipresença do que qualquer outro arquiteto”. São mais de 70 anos de arquitetura, “o poeta do betão armado” que ama as curvas sugeridas pelos morros do Rio de Janeiro ou do corpo de uma mulher, partiu hoje.

Dentro das suas obras – onde cabem palavras como catedral, casa, prédio, palácio, ministério, igreja – monumentais ou intimistas, são moradas onde pessoas trabalham, pedem a Deus, dormem e decidem. É obra no verdadeiro sentido da palavra. Arquiteto mas também filósofo, discreto e fugitivo aos elogios, não se dava demasiada importância. Nós damos-lhe muita.

esta plataforma Atlântica no facebook está aqui