Agarrei-o na Taschen de Copenhaga e claro que fui direta ao índice para descobrir Portugal. Lisboa, Cascais, Porto, Évora e Madeira, com escolhas nas respetivas cidades que me parecem longe do ‘crème de la crème’. Claro que a cronista do The New York Times, Barbara Ireland,  não é uma local, mas achei as escolhas muito óbvias. Também é verdade que 36 horas não dá para muita coisa, mas que há escolhas melhores, não tenho duvidas.

A outra grande falha é não aparecerem os Açores. Mas depois da Monocle ter colocado os Açores numa gaveta parecida à de Alcatraz de São Francisco, já nada me surpreende. Mas vá, as escolhas não seriam as minhas, nem são as melhores de cada cidade, ou ilha, mas não nos envergonham. Mais aqui.

esta plataforma Atlântica no facebook está aqui