Na passada quinta feira estreei-me na rádio. Como disse no post anterior sempre adorei o filme português da A Menina da Rádio e confesso que no toca à comunicação sempre adorei a ideia de falar para ‘o outro lado’.

Há qualquer coisa de mágico na rádio que me transporta por momentos a uma Lisboa de outros tempos e adoro o poder que pode ter uma voz na nossa vida. Muitas vezes, sem qualquer acesso ao olhar é com a rádio que vivemos os momentos mais fascinantes no mistério, que mesmo num olhar indecifrável, consegue chegar muitas vezes mais longe que o olhar. Mesmo o mais profundo.

Assim como qualquer coisa de insubstituível feita muita vezes pela solidão dos locutores nos seus estúdios, e de nós ouvintes, no silêncio de uma casa, ou perdidos no meio do trânsito das nossas cidades habitadas.

Longe de cantar como a Maria Eugénia (lá se iam os vidros das ruas do Chiado, onde mora a RFM), prometo pelo menos encantar o pouco tempo das agendas de fim-de-semana. Em apenas dois minutos, e com a companhia tão positiva e sempre luminosa da Joana Cruz  e do André Henriques (que bom que é testemunhar que as vozes que conhecia superam a expectativa dos seres humanos que são),  darei 4 dicas a viver nas nossas cidade – Lisboa, Porto e outras moradas portuguesas – para aproveitarem o melhor e mais fresco de sexta a domingo.

Porque é importante cada vez mais importante ter referências nas escolhas, espero que gostem e que de alguma maneira – me deixem de bombardear o telefone à sexta à noite a pedir ideias ;-) – e facilite esta vida sustentada na velocidade dos dias.

Todas as quintas-feiras neste programa da RFM e na sexta-feira de manhã num destaque aqui na plataforma Atlântica, o movimento da cidade, também pela voz desta cidade na ponta dos dedos.

Na lateral ireita dterão acesso a todas as moradas. Procurem a partir de quinta-feira ‘a placa’ que vai dar todas as direções e sugestões. Até lá para ser fã no Facebook é aqui.