Pin it

Na excelência do Sul
Sim, sou humilde suficiente para saber que é um desafio descrever por palavras o Vila Joya. Um hotel de charme encantador, com o único restaurante com duas estrelas Michelin, isso já se sabe. Mas o hotel boutique é muito mais que isso e só quem vive a experiência, percebe o que tento partilhar por estas linhas. Uma segunda casa, uma casa de amigos onde somos acolhidos com imenso carinho e elegância. E seja pela serenidade da Joy, proprietária do hotel, seja pela simpatia do Diego que nos recebe como ninguém, pela eficiência do Paulo ou do Marco que se destacam na sala de jantar, o Vila Joya são pessoas, as pessoas que fazem acontecer um dos mais bem escondidos paraísos atlânticos. O Internacional Gourmet Festival – Trubute to Cláudia (mãe da proprietária que um dia sonhou este hotel) voltou a acontecer no primeiro mês do ano e confirmou toda a dedicação e beleza que a Vila Joya me habituou. A rendição foi sublime e na memória partilho do dia inaugural, o Fígado de ganso com rui barbo e framboesa e o Esparguete de atum com pêra abacate e gengibre. No segundo dia com o tema Kochina & friends, o robalo com alcachofras e trufas de Périgord por Nicolas Isnard, a delícia Nespresso por Peter Schachermayer e a bola de açúcar criola com espuma de chocolate Jivara e gelado de tâmaras por Kochina. Ao terceiro dia subi ao céu, pela exuberância da selecção de Tomates verde, vermelho e amarelo, da autoria de Dani Garcia. Para salvação dos ponteiros da balança o Festival já acabou, mas para o restante ano dourado, o Vila Joya guarda como um tesouro, não apenas o chefe Kochina, ou um hotel com uma equipa notável, mas o mais distinguido manjar dos deuses com uma vista deslumbrante, sempre sobre águas do Sul.
Vila Joya
Praia da Galé, Albufeira
Tel. 289 591 795
www.vilajoya.com
Restaurante Vila Joya 12h – 15h30 e 19h – 24h

A cidade pulsa
“Uma cidade pode ser um coração”. Albano Martins escreveu a frase e eu assino por baixo, quando se fala da cidade do Porto. Na extensão de uma cidade cada vez mais apetecível, consegui finalmente comprovar a fama de um dos mais badalados restaurantes do Porto. Distinguido pela Wallpaper como dos cinco melhores novos restaurantes do Mundo, o restaurante, que é também um cocktail bar e um salão de chá, foi o único representante português do top five de finalistas do concurso “Best New Restaurant”. A competição passou pelo Tegui de Buenos Aires, o Terzo Piano de Chicago, o DamUm de Seul, e o Kaá de São Paulo que conseguiu o lugar vencedor. E sim, mais uma vez comprovo que o Porto ganha a passos largos à capital no que toca a restauração. Porquê? Pela sofisticação. O projecto de interiores Paulo Lobo marca muitos pontos neste cartão-de-visita da cidade. E se o Porto me surpreende sempre, não tenho dúvida que a qualidade é enaltecida pela simpatia natural de quem lá habita. A juntar ao ambiente e serviço extraordinários, a carta é bem representada, com sugestões de influência portuguesa a passar também pelos risotos ou a carta de sushi. Mas é na hora do chá que atribuo a nota vinte a um dos espaços mais trendy do Porto. A qualidade extraordinária dos scones, da pastelaria diversa e dos salgados miniatura, acompanhados de uma completa lista de chás que vão desde o Japão, Vietman, China, Formosa, China ou Índia confirmaram-me que este é sem qualquer dúvida o melhor chá que já provei em Portugal.
Buhle
Avenida Montevideu, 810 Porto
Tel. 22 010 9929
www.buhle.pt
Todos os dias das 12h30 – 15h30 e das 20h – 00h
Sex e Sáb encerra às 00h30
Chá das cinco €10
Chá das cinco Buhle €15

Quando o esgotado é o mais apetecido
A edição especial é irresistível e difícil de encontrar, mas quem me conhece sabe que raramente me cruzo com a palavra “impossível”. Na versão Rose Imperial a cor incandescente do Moët & Chandon eleva-se pelo o aroma dos morangos, das framboesas e pelas passas de corintos vermelhos, fundidas pela frescura do espinheiro e leves notas de pimenta. Na extensão da sensualidade da especiaria, ainda duas flutes e um par de dados para estender a imaginação.
Moët & Chandon Rose Imperial
Wine O’Clock
Rua Joshua Benoliel, 2B Lisboa
Tel. 21 383 3237Rua de Sousa Aroso, 297, Matosinhos
Tel. 22 936 3127
www.wineoclock.com.pt
www.moet.com
Seg a Sáb 10h 20h30
€106,85

crónica ‘Pelas ruas da cidade’ publicada na edição de Março/Abril de 2010 na GQ