Há qualquer coisa de muito nobre que pulsa das terras do Douro. Das vinhas que absorvem as entranhas da terra nasce uma dádiva que une os homens. E da generosidade dos que constroem mata-se a sede da alma, na partilha e na homenagem à natureza, numa das mais bonitas paisagens do mundo.

Pin it
Pin it


Pin it
Quando a Symington me convidou para embarcar rasguei um sorriso, pelo privilégio de me deixarem ir abrindo as magnânimas portas do seu legado. Uma empresa que é uma verdadeira família e que quanto mais conheço, mais me deixa rendida ao sentido de excelência, de tudo o que tocam.

Dia 23 de Junho, feriado do santo da cidade estrondosa (como gosto de chamar ao meu querido Porto), o São João, embarquei num barco rabelo da Warre’s para com a equipa defender o título de vitória do ano passado.

Porque a Quinta da Cavadinha defende o ciclo de maturação tardio, originando aromas frescos e elegantes, e porque é um privilégio ir conhecendo toda a entrega que a família Symington oferece a Portugal, não tive dúvidas em aceitar o convite. E com a brisa estival vivi a bordo do rabelo da Warre’s, uma das mais bonitas experiências que já vivi no Porto .


O dia anunciava-se quente. O vento incerto parecia ter-se refastelado à sombra de umas das árvores que envolvem o Douro. O Porto fica ainda mais bonito inundado de luz magnífica. A beleza do alcance das margens comove-me sempre. As cores, o rio, as pontes, as caves, a história  transpiram do cenário de uma cidade que masculina, é também sensível, e que nos protege como compete à energia viril de uma cidade homem.

Dos 4 barcos – Graham’s, Warre’s, Cockburn’s e Dow’s – relembro o primeiro homem que é homenageado na vela azul marinho. William Warre (1706-1773) foi o homem fósforo que fez chegar até aos nossos dias um dos vintages mais desejados do mundo. Porque as imagens falam mais do que mil palavras, ofereço-vos na gratidão do privilégio uma experiência que merece ser vivida na extensão de quem quem ama o Douro. E esse amor está nos detalhes, está na alegria com que troco dois dedos de conversa com os colaboradores da Symington (sejam eles os guardiães do armazém, ou o homem que vende os vinhos desta ilustre casa no fim do mundo), que vou conhecendo a cada dia que passa e que constituem esta grande família, que tanto faz pela marca de Portugal.

Pin it
Pin it
Pin it
Pin it
Pin it
Pin it
Pin it
Pin it
Pin it
Pin it
Regata São João SymingtonPin it


Pin it