6 Campanha Semana da Mobilidade CML A Cidade na ponta dos dedos 2013_JaimePin it

 

Marquei encontro com o Jaime em plenas Avenidas Novas. Na sua bicicleta branca pedala como se fosse a coisa mais fácil do mundo, e talvez seja, já que o Jaime que se desloca para todo o lado ma sua menina de pediais. Sempre a par das novidades, este embaixador deu-me grandes dicas práticas, como peças localizadoras de bicicleta (ideal para localizar ladrões de biclas) e um contacto que electrifica as que não vêm de origem, moradas que a seu tempo revelarei. ;-). Aqui vos deixo as palavras do Jaime, o mais subtil de todos os embaixadores desta campanha.

Pedala na cidade há quantos anos?
Comprei a bicicleta em Junho de 2012.

Porque o decidiu fazer?
É saudável. É barato.  Sinto-me em contacto com as pessoas da cidade. Chego mais depressa de bicicleta do que de carro. Acima de tudo sinto me livre.

O que o faz mais feliz quando pedala pela cidade?
Sentir que faço parte da mole humana.

Qual o maior desafio?
Manter-me numa velocidade e num fluxo no transito que me permita ser visto e não ser atropelado.

Já teve algum susto?
Sim. Os condutores de veículos automóveis não consideram a bicicleta um obstáculo. Agem como se a bicicleta não estivesse lá. Na Avenida Joao XXI tive carros a abalroarem me no momento do sinal verde.

Qual a historia que mais o marcou a bordo da sua bicicleta pelas ruas da cidade?
Descer a Avenida da Liberdade.

Gostaria de pedir alguma coisa específica à entidades urbanísticas para melhorar as suas viagens pela cidade?
Sim. Locais para prender a bicicleta. Uma postura Municipal, ou lei, que obrigasse os condomínios e donos de prédios a permitir as bicicletas no seu interior.

Porque aconselharia os outros lisboetas a pedalar pela cidade?
A comunicação. A 10 ou 15 kms hora tudo fica suficientemente perto. É barato e podemos fazer figas à Emel ;-).

Para ver toda a campanha é  aqui.