Almoço Palácio Bemonte Vesuvio 2011 (2)Pin it

A Quinta do Vesúvio guarda um lugar muito especial nas minhas experiências do Douro, mas juntar um lançamento de um vinho desta quinta elevada a um almoço no meu querido Palácio Belmonte orquestrado pelo José Avillez é um elevado regresso à cidade.

2011 foi um ano excepcional na Região Demarcada do Douro e mesmo que os Invernos de 2010 e 2011 tenham sido chuvosos foram alcançadas as reservas hídricas necessárias ao eloquente ciclo vegetativo da videira.  E se a Primavera foi quente e seca, e o Verão relativamente ameno, a queda de alguma chuva no final de Agosto e no início de Setembro, atenuou o efeito da seca e forneceu o suporte hidratante à maturação completa das uvas. Os dois meses seguintes de bom tempo elevaram o futuro vinho ao seu esplendor.

Da Adega de Reservas da Quinta do Sol escolheram-se os cachos minuciosamente, passando também por triagem manual, bago a bago. Os bagos inteiros foram transportados para cubas de fermentação de aço-inox, através de um sistema de simulação de gravidade, sendo suavemente esmagados ao cair na cuba, devidamente inertizada, evitando oxidações prejudiciais. As fermentações foram seguidas com provas bi-diárias, de modo a que cada vinho conservasse o enorme potencial das uvas que lhe deram origem.

Desde 2011 que uma parte importante das uvas destinadas à produção do Quinta do Vesúvio DOC Douro são fermentadas em barricas novas de carvalho francês de 400 litros, com maceração através de pisa com “macacos” (utensílio típico do Douro, tradicionalmente utilizado na maceração de mostos destinados à produção de vinho do Porto) e numa fase mais avançada da fermentação alcoólica, com a mão. Esta técnica, aplicada a uvas de grande concentração e em perfeito estado de maturação, permite obter vinhos densos e ricos, que dão um importante contributo para o lote final.

Uma vez terminada a fermentação alcoólica, seguiu-se uma maceração pós-fermentativa, durante a qual se promove a extracção de taninos das grainhas, maduros e doces, que complementam os taninos extraídos das películas, desenvolvendo uma “boca” mais volumosa e completa. O momento da prensagem das massas fermentadas, decisão crítica para a qualidade final do vinho, foi determinado através de prova. Após a fermentação-maloláctica em cubas de aço-inox, os vinhos foram transferidos para barricas de carvalho francês de 225 e 400 litros, onde estagiaram 14 meses. Seguiu-se uma seleção final dos lotes a integrar o Quinta do Vesúvio DOC Douro 2011, tendo sido engarrafadas 14.000 garrafas de 75 cl e 200 garrafas Magnum em 27 de Fevereiro de 2013.

Um discurso técnico interessantissomo para o mais comum dos mortas absorver que compassos marcam a sinfonia de um vinho marcante. Um vinho que eleva o espírito marcante da Dona Antónia e da consistência da família Symington, e de toda a sua equipa que faz acontecer esta marca nacional tão carismática e pela qual tem tanto carinho.

Mais sobre a lindíssima Quinta do Vesúvio aqui e Symington Real States aqui 

Almoço Palácio Bemonte Vesuvio 2011 (3)Pin it
Almoço Palácio Bemonte Vesuvio 2011 (9)Pin it
Almoço Palácio Bemonte Vesuvio 2011 (4)Pin it
Almoço Palácio Bemonte Vesuvio 2011 (5)Pin it
Almoço Palácio Bemonte Vesuvio 2011 (6)Pin it
Almoço Palácio Bemonte Vesuvio 2011 (7)Pin it
Almoço Palácio Bemonte Vesuvio 2011 (8)Pin it
Almoço Palácio Bemonte Vesuvio 2011 (10)Pin it
Almoço Palácio Bemonte Vesuvio 2011 (11)Pin it
Almoço Palácio Bemonte Vesuvio 2011 (12)Pin it
Almoço Palácio Bemonte Vesuvio 2011 (12B)Pin it
Almoço Palácio Bemonte Vesuvio 2011 (13)Pin it
Almoço Palácio Bemonte Vesuvio 2011 (14)Pin it
Almoço Palácio Bemonte Vesuvio 2011 (15)Pin it
Almoço Palácio Bemonte Vesuvio 2011 (18)Pin it
Almoço Palácio Bemonte Vesuvio 2011 (19)Pin it
Pombal do Vesuvio 2010 rec_data altPin it
Quinta do Vesuvio 2011Pin it
Vesuvio Vintage 1994Pin it
Quinta de Vesuvio 8Pin it
Quinta VesuvioPin it
Quinta VesuvioPin it
Quinta VesuvioPin it
Quinta VesuvioPin it
Quinta VesuvioPin it